Abre hoje a SPFW edição outono-inverno 2005

17.01.2005 - 18:29 Desfiles SPFW 2 comentários

A partir de hoje a moda é o prato do dia nas conversas dos mais descolados. Começa a 18ª edição da São Paulo Fashion Week com a apresentação de 47 desfiles que mostram os lançamentos para o outono-inverno 2005. Até a próxima terça-feira, os organizadores do evento estimam que 120 mil pessoas circulem pelos corredores do prédio da Bienal onde podem acompanhar o movimento das passarelas por telões, mas no máximo 10% do público terão acesso às salas.

No backstage, fechar o casting de modelos tem sido tarefa dura para os estilistas. Isabeli Fontana, por exemplo, chega a cobrar até R$ 20 mil, restringindo sua participação a poucos desfiles. É o caso também de Ana Beatriz Barros, Ana Hickmann, Michele Alves e Carol Ribeiro. As mais disputadas e em fase de ascensão são as que mais trabalham e chegam a fazer até 30 dos 47 desfiles da semana. Entre elas estão Carol Francischini, Renata Klem e Lucy Horn. E há um time de 29 novíssimas, como Amanda Lopes e Monique Olsen, que está sendo oferecido às grifes pela Tim, nova patrocinadora do evento. Isso sem falar de personalidades como Daniella Cicarelli amanhã na Ellus e Gisele Bündchen, hoje na Triton e na exposição que comemora os dez anos de sua carreira com fotos da edição da “Vogue” em sua homenagem.

Em termos de moda, esta é uma edição especial. Num ano de grandes eventos do Brasil na França, o olhar estrangeiro vai estar ainda mais focado nas criações nacionais. Ou seja, é hora de aproveitar a grande vitrine que o país terá na terra de Chanel e Saint-Laurent. O clima brasileiro começa na própria concepção do evento, que valoriza nossos recursos naturais como o pau-brasil e também as produções artesanais, fashion e culturais como a mostra de filmes e documentáriosOlhares do Brasil”.

O mineiro Ronaldo Fraga, que desfila hoje, olha para o poeta Carlos Drummond de Andrade para criar saias em movimento, com cintura no lugar: “Acredito que a brasilidade deve seguir o caminho do invisível, do que não é palpável, do que se sente e tem humor e memória”. Muitos estilistas colhem na natureza inspiração para cenários, estampas e acessórios. Folhas, animais e até elementos da cultura indígena vão pipocar nas coleções. A Triton tem como tema um acampamento nas montanhas, numa atmosfera criada pelo cenógrafo Gringo Cardia que reproduz graficamente 80 elementos da natureza. A Patachou olha para a Bahia, tinge de azul colonial seu mais novo tricô (um crepe levíssimo) e interpreta vários símbolos da terra de Caetano Veloso. A Zoomp trabalha com a biodiversidade. “A inspiração está nas diversas fontes de vida, na fauna, na flora, no mundo dos insetos”, diz Henry Alavez, estilista da marca, que aposta nas peças com “efeito casulo”. Os insetos também são tema de Fause Haten, trabalhados principalmente em estampas.

Até os jovens estilistas que estréiam nesta edição celebram a natureza. Na Neon, da dupla Dudu Bertholini e Rita Comparato, são cores como marrom, terra, laranja e vermelho que reforçam este conceito – cores, aliás, que resumem o inverno. Giselle Nasser, o nome mais forte entre esses novos, diz que trabalha de forma orgânica as cores e imagens da natureza, sem perder seu estilo romântico. Giselle, de 27 anos, abriu recentemente sua primeira loja e está bem consciente da mudança profissional decorrente de sua participação no maior evento de moda da América Latina. “Apesar de já ter feito vários desfiles, vamos atingir um outro público, muito maior. Venho me preparando para isso e o SPFW é o lacinho do pacote de presente”, diz. Suas peças sempre trazem elaborados processos artesanais, mas ela diz que já aprendeu uma lição: “O desfile será uma seleção de tudo, mas na loja os bordados ganham desdobramentos mais acessíveis”.

Além da Neon e de Gisele, outros nomes jovens migram do Amni Hot Spot para o SPFW. Érika Ikezili, Fábia Bercsek e Samuel Cirnansck preparam-se para a grande virada, assim como a já veterana Lourdinha Noyama e o adolescente Pedro Lourenço, filho dos estilistas Glória Coelho e Reinaldo Lourenço. Pedro estréia a marca que leva seu nome com um desfile pequeno numa galeria, na quinta-feira. Nosso Mozart da moda, ele tem apenas 14 anos e é o estilista mais jovem do mundo a participar oficialmente de uma semana de moda. Sua atuação é tão surpreendente que a revista de moda do “New York Times” chegou a publicar uma reportagem sobre ele em 2004. Nas últimas temporadas, Pedro assinava as coleções da Carlota Joaquina, que volta ao comando de sua mãe Glória. Pedro pretende fundir cubismo e motocross em sua coleção de estréia.

Se Pedro é um adolescente, a moda está para ele. Há uma forte dose de regressão no ar. Estilistas buscam referências no imaginário infantil, lúdico e escapista, que apareceu também no Fashion Rio. A carioca Isabela Capeto vai rechear a passarela com estampas de flores e cogumelos em proporções desestruturadas “como se fosse roupa de gente grande vestindo uma criança”, diz. A marca masculina V.Rom, de Rogério Hideki e Vitor Santos, remete ao filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate” (1971) e seu principal personagem Willy Wonka. Érika Ikezili conta a história de amor entre um “menino-militar e uma menina-floral”. Thais Losso faz um casamento bem maluco para a Zapping: junta o espetáculo Holiday on Ice com a atmosfera dos beatniks.

Entre os que seguem um caminho mais conceitual estão os estilistas Alexandre Herchcovitch, Glória Coelho e Lorenzo Merlino. Eles buscam a seu modo uma nova visão da moda e da sensualidade. Na coleção feminina, o ex-underground Herchcovitch trabalha o rococó: “São looks extremamente detalhados, com volumes localizados”, explica. O estilista, que participa da semana de moda de NY, diz: “Eu gostaria ao menos que as pessoas pensassem mais na moda como forma de comunicação e expressão”. Glória mistura elementos da Idade Média, jardinagem e de rua para criar o que ela chama de “caipira da Holanda pronta para ir à festa”. E para brindar, promete roupas que borbulham como champanhe.

Lilian Pacce (colaborou Camila Yahn)

Tags:                                                                                                                                                                                    

Compartilhe Imprimir Google + Pinterest

Comentários (2)

  • Gil Bartmes disse:

    Would anyone who has been a element of the program from the beginning mind sending me copies of your prior letters? I’m signed up now but unfortunately did not hear of this until now. Many, many thanks in advance.

  • Edmar Moura de Souza disse:

    Entendemos que tudo que está acontecendo é o caminho para uma nova missão

    Mais cedo ou mais tarde tudo será reestabelecido porque no mundo da moda, não para.

    Podemos ver dia a dia por meios de comunicações em geral, os grandes estilistas, em Paris, Japão, comunidade européia em geral, mesmo com dificuldades as grandes Grifes estão em alta.

    Está grife ZOOMP será estará sempre em alta jamais irá acabar.

    Prevalecerá o Rei Renato Kerlakian criador da marca zoomp & zappimg.

    Edmar Moura de Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Últimas