Mona Kuhn, a fotógrafa naturista

04.11.2011 - 16:00 Portfolio 79 comentários

Mona Kuhn/Reprodução

Mona Kuhn/Reprodução
Picture 1 of 25

Mona Kuhn pra pré primavera-verão 2012 da Bottega Veneta

Mona Kuhn nasceu em SP em 1969, mas saiu do Brasil pra estudar e praticar a fotografia que, segundo a própria, não é tão fácil de se fazer por aqui. É que seu trabalho é focado no naturismo e, apesar de todo o clima carnal do Carnaval, os brasileiros são fruto de uma cultura latino-americana bastante religiosa que não vê a nudez de maneira espontânea. ”O maior desafio foi encontrar pessoas pra fotografar”, disse em entrevista quando lançou seu “Native“, todo fotografado em sua terra natal, em 2009.

A filha de pais alemães que hoje mora e trabalha em LA está acostumada a clicar pessoas que vivem sem cobrir o corpo, ou seja, que não agem de forma diferente só porque notam que estão sendo observadas. Há mais de 15 anos, ela transforma sua casa de verão na França em uma espécie de comunidade naturista, onde produz muito de sua obra, inspirada por nomes como Mario Cravo Neto e Miguel Rio Branco.

Foi também no país que ela fez as imagens de “Bordeaux“, seu último projeto, divulgado pouco antes do projeto com a Bottega Veneta. O convite da marca italiana faz parte do “The Art of Collaboration“, que, como adianta o nome, consiste em colaborações de fotógrafos de peso em suas campanhas. Segundo Tomar Maier, o diretor criativo da empresa, foi a intimidade capturada por Mona que definiu o ensaio fotografado no topo do New Museum, em NY. E como a própria fotógrafa define seu trabalho? “Formas diferentes de olhar o corpo“. Aí na galeria dá pra entender melhor!

VEJA TAMBÉM: Cecil Beaton, o fotógrafo das divas de Hollywood
LEIA MAIS: Jacques Dequeker fotografa moda em 3 dimensões

Tags:                            

Compartilhe Imprimir Google + Pinterest

Comentários (79)

  • Cristianne disse:

    Achei as fotos maravilhosas. Principalmente porque são em um nú artístico e sem qualquer tipo de apelo erótico (é exatamente por esse motivo que não há nenhum problema em mostrá-las em um local de livre acesso para crianças).
    Quanto àqueles que insistem em criticar, dizendo que não é arte, que não amamos a Deus ou aquele que pergunta em um dos comentários o quanto ela estudou para chegar nisso, eu só tenho pena.
    Sinceramente, vão se informar e estudar um pouco que seja, para ter bagagem e conteúdo e poder discutir assuntos desse tipo.
    Porque brasileiros que acham completamente normal ver mulheres seminuas no carnaval ou nesses bailes funk da vida, e não vêem problema algum em expor essas imagens a crianças, não tem moral alguma para criticar. Essas imagens mostram uma cultura diferente da nossa, a do naturismo, e tem apelo erótico infinitamente menor do que as dançarinas de programas como Panico na tv, exibidos sem pudores pela televisão brasileira.

  • Leo Cavallini disse:

    Tem livro dela sendo lançado pela Steidl!

  • Carlos Eduardo disse:

    Vc fz um trabalho muito bom com mulheres mais com homemes ruim da pra deijar os homens dew fora das images

  • giselene disse:

    Amei seu trabalho é um nu artistico mas bem feito e singelo e natural que eu ja vi vc esta de parabens pelo seu trabalho e pela escolha das fotos e dos lugares !!Bjos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Últimas